Chevaliers de la Table Ronde: uma versão catalã da canção clássica de regiões vinícolas da França, e também a original

Mesa posta na bodega Llopart para a apresentação de “Chevaliers de la Table Ronde" - Foto de Bruno Agostini
Mesa posta na bodega Llopart para a apresentação de “Chevaliers de la Table Ronde” – Foto de Bruno Agostini

No final de 2014 visitei a Catalunha, num intenso roteiro vínico, que teve uns três dias de imersão no mundo das bodegas Miguel Torres, uma gigante deste universo, com incrível qualidade na sua produção, seguido por um giro pelas principais zonas da enologia catalã, incluindo Priorato e Penedés, e outras denominações menos conhecidas.
O destaque do derradeiro dia de nosso tour foi a visita à Llopart, tradicional vinícola familiar, da D.O. Penedés, que está entre as grandes casas de cava.

Parte da linha de cavas da bodega Llopart, das mais tradicionais da Catalunha - Foto de Bruno Agostini
Parte da linha de cavas da bodega Llopart, das mais tradicionais da Catalunha – Foto de Bruno Agostini

Além de provarmos grandes vinhos, e conhecermos quase todos os membros das três gerações da família que trabalham na empresa – que também produz trigo e azeite – nós tivemos uma antológica recepção, com uma daquelas mesas fartas que caracterizam a cozinha ibérica, lindas borbulhas para acompanhar, e como cereja do bolo uma dupla de músicos locais, que nos brindaram com uma linda e divertida versão catalã da canção clássica de regiões vinícolas francesas, “Chevaliers de la Table Ronde”.

A dupla de músicos - Foto de Bruno Agostini
A dupla de músicos – Foto de Bruno Agostini

Como ainda não criei a minha conta no You Tube (nem sei se vou fazer isso), e ainda estou fazendo testes nas ferramentas de publicação deste site, coloco o link para a minha página no Facebook, onde postei o vídeo.  Para ver, clique aqui. Vídeo gravado por mim.

 

———————————————

Deixo ainda o link para a versão original francesa da música, muito da divertida (no vídeo muda um pouco a letra, mas dá para acompanhar). Dá vontade de abrir um vinho.

 

  1. Chevaliers de la table ronde,
    Goûtons voir si le vin est bon;
    (bis)
    Goûtons voir, oui, oui, oui,
    Goûtons voir, non, non, non,
    Goûtons voir si le vin est bon
    (bis)
  2. (ESTA PARTE NÃO APARECE NO VÍDEO)
    S’il est bon, s’il est agréable
    J’en boirai jusqu’à mon plaisir.
    (bis)
    J’en boirai, oui, oui, oui
    J’en boirai, non, non, non
    J’en boirai, jusqu’à mon plaisir
    (bis)
  3. J’en boirai cinq à six bouteilles
    Une femme sur mes genoux
    (bis)
    Une femme, oui, oui, oui, …
  4. Si je meurs je veux qu’on m’enterre
    Dans une cave où y a du bon vin
    (bis)
    Dans une cave, oui, oui, oui, …
  5. Les deux pieds contre la muraille
    Et la tête sous le robinet
    (bis)
    Et la tête, oui, oui, oui, …
  6. Et mes os, de cette manière
    Resteront, imbibés de vin;
    (bis)
    Resteront, oui, oui, oui, …
  7. Sur ma tombe, je veux qu’on inscrive
    Ici gît le roi des buveurs;
    (bis)
    Ici gît, oui, oui, oui, …——NO VÍDEO TERMINA AQUI—–
  8. La morale de cette histoire
    Est qu’il faut boire avant d’mourir;
    (bis)
    Est qu’il faut, oui, oui, oui, …

E mais uma versão, numa levada meio country.

admin

Bruno Agostini é carioca, jornalista e fotógrafo. Especializado em turismo, gastronomia, vinhos e cervejas, viaja o mundo atrás de boas histórias, e da boa mesa. Com passagens por empresas como Jornal do Brasil, O Globo e Editora Abril, foi inspetor de restaurantes do Guia Quatro Rodas e é autor de livros, como guias de viagem, vinhos e restaurantes. Atualmente atua como freelancer, escrevendo para veículos especializados, entre jornais, sites e revistas, como Época Rio, Top Destinos, Carbono Uomo, Eatin’Out e Baco, entre outras. Contato: bagostini@gmail.com Instagram: @brunoagostinifoto

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *