Conheça as diversas modalidades de enoturismo no Vale de Casablanca

Cacho de Pinor Noir no final de abril, no Vale de Casablanca – Foto de Bruno Agostini

Incluindo a região de Santo Antonio, vizinha, são mais de dez vinícolas abertas aos visitantes. É possível ir por conta própria, de ônibus e táxi (leia aqui), com motoristas privados (vale para grupos de amigos) ou ainda contratando um tour no próprio hotel (eu recomendo a Enotour). É possível gastar o dia inteiro por lá, inclusive por algumas vinícolas têm ótimos restaurantes. Quem quer uma imersão mais profunda nos vinhos de Casablanca pode até ficar em algum hotel, e não haveria falta de vinícolas para se visitar, em tranquilas estadias de até três dias.

Neste caso, a Matetic é uma das que tem a mais completa estrutura, com hotel e restaurante. Entre os programas disponíveis aos visitantes, há cavalgadas e passeios a pé, de bicicleta ou de van, além de diferentes tipos de degustação. O restaurante Equilibrio (no momento, em obras que terminam em breve) é um dos melhores do pedaço, e o hotel La Casona tem oito quartos confortáveis, numa construção campestre típica, com mais de 100 anos, e remodelada em 2004. (A Turistik, outra empresa que recomendo pra passeios em Santiago, tem um programa interessante, que combina visita à Isla Negra com a Matetic)

Pioneira na região de Santo Antonio, a Casa Marín não apenas produz alguns dos mis interessantes vinhos do Chile, com excelentes Riesling, Sauvignon Gris e Shiraz, entre outros. Uma linha de alto nível. Quem quer exclusividade pode se hospedar na Villa Casa Marín, com capacidade para até quatro pessoas. No Vinobar Cipreses é possível fazer degustações e atraentes refeições harmonizadas com menus sazonais.

No site Ruta del Vino de Casablanca há informações completas sobre enoturismo na região de Casablanca.

E mais: Vale de Casablanca e Valparaíso: vinhos, enoturismo e almoço com vista nos arredores de Santiago

admin

Bruno Agostini é carioca, jornalista e fotógrafo. Especializado em turismo, gastronomia, vinhos e cervejas, viaja o mundo atrás de boas histórias, e da boa mesa. Com passagens por empresas como Jornal do Brasil, O Globo e Editora Abril, foi inspetor de restaurantes do Guia Quatro Rodas e é autor de livros, como guias de viagem, vinhos e restaurantes. Atualmente atua como freelancer, escrevendo para veículos especializados, entre jornais, sites e revistas, como Época Rio, Top Destinos, Carbono Uomo, Eatin’Out e Baco, entre outras. Contato: bagostini@gmail.com Instagram: @brunoagostinifoto

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *