Conserveira de Lisboa: conservas marinhas e muito estilo na Baixa

Se tem uma coisa que eu gosto muito são pescados em conserva. Desde as sardinhas safradas francesas, o tonno sott’olio italiano, e a bottarga, e  os boquerones espanhóis até as variações mais ao norte, dos arenques marinadas até os salmões e trutas defumados. Sem falar no caviar, e as outras ovas… Isso pra ficar apenas ali pelas redondezas da Europa. Difícil imaginar um lugar que tenha tamanha tradição no assunto quanto Portugal. Tudo o que se pesca por lá pode virar uma latinha de conserva, com incontáveis variações de tempero: só no azeite, no molho de tomate (picante ou não), no limão, ao curry, com alho, com pimenta, com cebola, à escabeche, com picles… São mestres no assunto.

São centenas de conservas diferentes à venda – Foto de Bruno Agostini

Para os que, como eu, gostam dessas receitas, formas ancestrais de conservação de alimentos, existe um lugar que é parada obrigatória na capital portuguesa: chama-se Conserveira de Lisboa, a um pulo da Praça do Comércio, visita que pode ser combinada com um passeio pela Baixa. A casa, fundada em 1930, vende principalmente produtos da marca Tricana (vende, ainda, Minor e Prata do Mar), três a marcas próprias, criadas e registradas por eles em 1942 (a Minor é de 1955).

Há sardinhas, polvos, mexilhões, bacalhaus, lulas, e toda a sorte de pescado disponível no Atlântico Norte – Foto de Bruno Agostini

Sempre que visito a cidade eu acabo passando por lá, para abastecer a despensa. Difícil mesmo é escolher. Calculo que haja pelo menos umas 100 conservas de pescados diferentes, com sardinhas, polvos, mexilhões, bacalhaus, lulas,  e toda a sorte de pescado disponível no Atlântico Norte.

Uma seleção de rótulos antigos – Foto de Bruno Agostini

Para os que gostam de design e história da arte, o lugar é um prato cheio, com as suas embalagens coloridas, de estilo vintage. Há, ainda, uma exposição com embalagens antigas.

A senhorinha elegante embala manualmente as latinhas – Foto de Bruno Agostini

A lista de conservas é robusta, mas o lugar mantém um acabamento bem artesanal, e sempre que vou lá esta mesma senhorinha aí de cima, sempre muito elegante, está lá nos fundos, embrulhando uma a uma as latinhas, com delicadeza.

SERVIÇO
Conserveira de Lisboa – Rua dos Bacalhoeiros, 34, 1100-071,Lisboa. Tel. (+351) 218-864-009.
www.conserveiradelisboa.pt

admin

Bruno Agostini é carioca, jornalista e fotógrafo. Especializado em turismo, gastronomia, vinhos e cervejas, viaja o mundo atrás de boas histórias, e da boa mesa. Com passagens por empresas como Jornal do Brasil, O Globo e Editora Abril, foi inspetor de restaurantes do Guia Quatro Rodas e é autor de livros, como guias de viagem, vinhos e restaurantes. Atualmente atua como freelancer, escrevendo para veículos especializados, entre jornais, sites e revistas, como Época Rio, Top Destinos, Carbono Uomo, Eatin’Out e Baco, entre outras. Contato: bagostini@gmail.com Instagram: @brunoagostinifoto

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *