De bar em bar: Angel’s Share, no East Village, em Nova York – speakeasy japonês de primeira linha

 

Descíamos a Terceira Avenida com certa pressa, para espantar o frio, mas também para cumprir uma longa maratona de visitas insanas a bares e restaurantes. Andamos umas 15 quadras, deixando as cervejas, sandubas e drinques do ótimo Handcraft Kitchen & Cocktails. Estávamos a caminho do L.E.S. Kitchen, pequena casa de hambúrgueres, que serve alguns dos melhores da cidade, com blends de carne que trazem a assinatura de Pat LaFrieda, ninguém menos que o melhor açougueiro de Nova York. Ainda esticamos até o Dead Rabbit, mas isso é assunto para outro post.

O frio aumentava a vontade de nos refugiarmos em algum bar. Até que, em certo momento, veio a maldosa sugestão, no momento em que íamos em direção à estação de Astor Place.

– Putz, cara. Logo ali tem um bar sensacional: Angel’s Share. Mas acho que ficar muito tarde para irmos ao Les Kitchen e ao Dead Rabbit – disse a voz da serenidade.

Mas o capeta sussurrou no meu ouvido durante toda esta vez, como faz quase sempre.

– Claro que não. Bebemos uns dois drinques, ou três.

E foi o que fizemos. Claro que foram três. Não dava para ser um ou dois.

Quem não conhece jamais imaginaria que numa suposta porta de serviço, num canto escuro de um restaurante japonês comum se esconderia um dos melhores bares do mundo, típico speakeasy nova-iorquino. Mas lá nos fundos do cheio, barulhento e comum Village Yokocho (8 Stuyvesant St, East Village, Metrô: Astor Place), um típico izakaya em terras estrangeiras, está o Angel’s Share, escuro, silencioso, pequeno, quase um templo místico, e o afresco de um anjo no teto reforça essa ideia. É um bar de drinques moderno conduzido por japoneses (e japonesas): a bartender que nos serviu fez drinques impecáveis, delicados e equilibrados, trabalhando com uma elegância e precisão que jamais vi. Japoneses quando resolvem fazer alguma coisa, eles fazem muito bem.

O bar já é bom a começar pelo nome. Angel’s Share (literalmente “A parte do anjo” é quantidade de álcool que evapora de barris de carvalho com uísque ou outros destilados, cerca de 1% ao ano de perda de líquido).

Mas nem isso, nem o ambiente discreto, respeitoso e intimista, são as coisas que importam ali. Visitar o Angel’s Share é essencial por duas razões. A primeira é obviamente a qualidade de seus coquetéis, que podem ser representantes da linhagem clássico de drinques, ou então escolhidos numa carta de criações da casa. Ou, quem sabe, ser criado na hora, diante das preferências e indicações do cliente.

Me perdoem por não lembrar perfeitamente o que bebi. Mas foram três, e mais bicadas no copo do amigo Gabriel Cavalcante (Da Muda também). Eu pedi primeiro para ela um drinque leve e refrescante, com acidez. E ela cumpriu a missão, desenvolvendo uma receita na hora, com infusões e bitters caseiros.

Saímos de lá, no final das contas, animados pela rodada derradeira (ali): Vieux Carré e Old-fashined.

Lembro que empolgado disse que aquele foi o melhor old fashioned da vida (mas pode até ter sido um Manhattan). Sei que podem ser esses, pois não apenas são clássicos, como – ainda que preparados á perfeição – não estão no rol dos meus coquetéis preferidos. E, naquele final de tarde, me chamou muito a atenção o equilíbrio e delicadeza do drinque. Resumindo o Angel’s Share, eu diria: Um lugar discreto, respeitoso e intimista; escuro, silencioso e pequeno, quase um templo místico; mas que serve os coquetéis mais delicados e elegantes que já provei.

Dizem que a comida lá também é bem recomendável.

Ouriço no vapor do Village Yokocho – Foto de Bruno Agostini

E, já que estávamos lá, paramos no balcão do restaurante Village Yokocho, que se não é algo fora-de-série tem um menu japonês bem atraente, que inclui ouriços no vapor.  Esse aí de cima, com shisô, tirinhas de nori, fiapos de nabo, cebolinha, brotinho, purê de pimenta… Delicioso.

Angel’s Share: 8 Stuyvesant St, East Village, Nova York, NY 10003. Tel. +1 (212) 777-5415. Não tem site, mas apenas página no Facebook: https://www.facebook.com/Angels-Share-534149856600355/

E mais:
Resenha no site do World Best Bars (em inglês)

admin

Bruno Agostini é carioca, jornalista e fotógrafo. Especializado em turismo, gastronomia, vinhos e cervejas, viaja o mundo atrás de boas histórias, e da boa mesa. Com passagens por empresas como Jornal do Brasil, O Globo e Editora Abril, foi inspetor de restaurantes do Guia Quatro Rodas e é autor de livros, como guias de viagem, vinhos e restaurantes. Atualmente atua como freelancer, escrevendo para veículos especializados, entre jornais, sites e revistas, como Época Rio, Top Destinos, Carbono Uomo, Eatin’Out e Baco, entre outras. Contato: bagostini@gmail.com Instagram: @brunoagostinifoto

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *