Eataly, Four Seasons e o novo WTC renovam Downtown, depois de anos de reconstrução

Ontem acabei contratando um motorista particular pra me trazer do Park Lane para a derradeira noite da viagem, no Four Seasons Downtown. Tan Kent, sujeito gente boa, de origem chinesa. Emendamos no papo sobre Nova York, comida e trabalho, e revelei entao minha profissão de jornalista, turístico, etílico e gastronômico. Então ele começou a me falar de restaurantes chineses da cidade, os bons, os “falsificados”. Disse que eu deveria conhecer o de um amigo dele, muito bom e original. Chegando perto do hotel, a poucos passos no novo World Trade Center, ele comentou, em tom de lamento.

– Meu pai tinha um restaurante bem aqui. Precisou fechar, depois do 11 de setembro. Tudo por aqui fechou, fico feliz de ver como está a região agora, mas é muito triste lembrar.
Foram cerca de 15 anos de reconstrução, e ainda tem muito arranha-céu subindo às alturas, com suas fachadas espelhadas, mais que modernas, com projetos arquitetônicos impressionantes, com um prédio cujo nome não sei que tem formas irregulares, e parece ter sido montado com blocos espelhados de Lego, ou o próprio novo One WTC, e o doloroso memorial, com as suas águas fluidas, que descem até o funfo do poço, para voltarem à superfície, como se fossem fênix líquida, e as bordas com os nomes das vítimas gravadas em baixo relevo, às vezes com rosas brancas espetadas, em homenagem. Uma coisa bonita, que me levou às lágrimas, incontroláveis, e me obrigou a explicar à filha o que se passou ali, em 2001 (e que pra mim tem peso dobrado, porque foi a minha estreia na cobertura jornalística, e tenho orgulho de ter participado da edição extra do JB, que saiu por volta das 15h daquele dia fatídico).
Durante todo esse tempo a região perdeu muito do interesse turístico, virou um canteiro de obras, e basicamente apenas o Battery Park, e sua vista para a Estátua da Liberdade, e os passeios de barco até lá, atraíam os visitantes.
Agora as coisas estão se endireitando, e novidades estão pipocando. Abaixo do One WTC foi reconstruída uma estação de metrô que é uma atração turística em si, com uma arquitetura linda, orgânica, branco e imponente, que abriga uma espécie de shopping, com time de lojas que nada deixa a dever à Quinta Avenida.
O bar de vinhos e cervejas do Eataly – Foto de Bruno Agostini

Há excelentes lojas de comida, e nesta seara o destaque vai para a filial do Eataly, com os seus produtos italianos, e seus muitos restaurantes, de pizzas, piadinas, massas, carnes, peixes, as suas caves de queijos e listas de vinhos e cervejas, sua padaria, seus sorveteria, sua cafeteria. Eu poderia facilmente passar um dia ali. E em breve, de volta ao Brasil, vou mostrar com um pouco mais de calma tudo o que vi, nesses dois dias em que andei por aqui, incluindo a caminhada da Katz’s Deli até Downtown, passando por Little Italy, Chinatown e o South Street Seaport, que igualmente está sendo renovado, e vai ganhar um complexo de bares, lojas, restaurantes e cinemas, com vista para o Brooklin, e sua ponte emblemática, muito em greve, como parte do pacote de renovação desta área.

No mais, recomendo e tenho o contato do tal motorista, pra quem quiser. Acabei contratando ele pra me levar ao aeroporto, em seu carro grande que pode abrigar uma família de quatro, com muitas malas, confortavelmente. Vai me cobrar US$ 70 até o JFK. Achei bom o preço. Triste é ter que ir embora, por mais saudades de casa que eu esteja. Em março, espero, estarei de volta. Se tudo der certo. E, nos próximos dias, não vão faltar histórias de Manhattan pra contar aqui neste site.
Obrigado pela companhia. E até amanhã, já em terras brasileiras.

admin

Bruno Agostini é carioca, jornalista e fotógrafo. Especializado em turismo, gastronomia, vinhos e cervejas, viaja o mundo atrás de boas histórias, e da boa mesa. Com passagens por empresas como Jornal do Brasil, O Globo e Editora Abril, foi inspetor de restaurantes do Guia Quatro Rodas e é autor de livros, como guias de viagem, vinhos e restaurantes. Atualmente atua como freelancer, escrevendo para veículos especializados, entre jornais, sites e revistas, como Época Rio, Top Destinos, Carbono Uomo, Eatin’Out e Baco, entre outras. Contato: bagostini@gmail.com Instagram: @brunoagostinifoto

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *