Negroni, panini e bisteca em Florença

O elegante Caffè Giacosa, berço do Negroni – Foto de Bruno Agostini

A meio caminho entre Roma e Turim, Florença não é apenas o berço do Renascimento, mas também do Negroni, um dos drinques mais iconográfico da coquetelaria mundial, nascido no elegante Caffè Giacosa, fundado em 1815, hoje funcionando em anexo a uma loja de Roberto Cavalli. Com sofás de couro e muitas fotos de preto-e-branco a enfeitar as paredes, é um dos melhores lugares da cidade para um drinque no final da tarde. Para acompanhar a bebida, feito com gim, Campari, vermute tinto e casca de limão siciliano, os típicos acepipes servidos na happy hour italiana. Ou, ainda, o uma taça de martini repleta de azeitonas,  regada com um pouco de gim, ofertada pelo barman para se combinar com o Negroni.

O apertado e delicioso I Fratellini, em Florença, serve deliciosos panini – Foto de Bruno Agostini

Para os cariocas adeptos da cultura de botequim, Florença é um prato cheio. Não faltam cantinas e trattorias que aqui no Brasil seriam classificadas como pé-sujo. Um desses deliciosos estabelecimentos é I Frattelini, no coração da área turística, lugar para se comer panini (são mais de 40 combinações. O pequeno balcão, marcado por uma vitrine refrigerada cheia de iguarias em conserva (presunto cru, porchetta, pecorino, anchovas, tomate seco, lardo e as mais variadas conservas típicas da Itália, de alcachofra à berinjela), não acomoda mais do que quatro clientes, que bebem tacinhas de Chianti a menos de um euro. Entre os sabores mais cotados,  tem porchetta; salame com alcachofra; atum e alcaparras; arenque com manteiga e mortadela com berinjela. Difícil mesmo é escolher.

A suculenta bisteca alla fiorentina do Buca Mario – Foto de Bruno Agostini

Para provar uma legítima bisteca alla fiorentina em ambiente acolhedor e pitoresco, vale escolher entre Buca Mario e Trattoria 4 Leoni, esta segunda do outro lado do Rio Arno, não muito longe da bela Ponte Vecchio. O corte de tamanho indecente, que serve duas ou três pessoas, em ambas as casas têm execução impecável. Enquando Buca Mario tem um perfil mais refinado, um salão de decoração classuda, sempre lotado, a 4 Leoni, na Piazza della Passera, tem um perfil um tanto mais despojado. Mas não se engane: nas paredes, fotos de figuras ilustres e reportagens de jornais italianos e estrangeiros mostram que este é um dos mais bem frequentados restaurantes de Florença. Naomi Campbell, Spike Lee, Sting, Dustin Hoffman e Isabella Rossellini estão entre os clientes da casa.

Talvez você também interesse neste post aqui, sobre o Trippaio Pollini, que serve o melhor Lampredotto de Florença.
E mais este, sobre a temporada de trufas em Alba, no Piemonte, e os melhores restaurantes da região.
Leia mais:

Em Roma, entre trattorias, enotecas e cantinas
Os cafés de Torino

admin

Bruno Agostini é carioca, jornalista e fotógrafo. Especializado em turismo, gastronomia, vinhos e cervejas, viaja o mundo atrás de boas histórias, e da boa mesa. Com passagens por empresas como Jornal do Brasil, O Globo e Editora Abril, foi inspetor de restaurantes do Guia Quatro Rodas e é autor de livros, como guias de viagem, vinhos e restaurantes. Atualmente atua como freelancer, escrevendo para veículos especializados, entre jornais, sites e revistas, como Época Rio, Top Destinos, Carbono Uomo, Eatin’Out e Baco, entre outras. Contato: bagostini@gmail.com Instagram: @brunoagostinifoto

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *