Peru, o melhor destino gastronômico do mundo, segundo o World Travel Awards

Ceviche de mexilhões do La mar - Foto de Bruno Agostini

Ceviche de mexilhões do La mar – Foto de Bruno Agostini

Pelo quinto ano consecutivo o Peru venceu o World Travel Awards, na categoria “Melhor destino culinário do mundo” (World’s Leading Culinary Destination), disputando o título com países como Itália, França, Japão, México, Espanha, Malásia, Tailândia, Estados Unidos, Índia e Austrália.

O chef Marco Espinoza no Mercado de Surquillo - Foto de Bruno Agostini
O chef Marco Espinoza no Mercado de Surquillo – Foto de Bruno Agostini

Em 2015 fizemos um intenso e delicioso roteiro gastronômico pela capital do país, Lima, liderados pelo chef Marco Espinoza, que foi fazer pesquisa de campo com os seus novos sócios, do restaurante Muju, em Porto Alegre, e parte da equipe de cozinha. Participei da jornada, e posso confirmar o que o mundo já sabe: o Peru está entre os melhores lugares do mundo para comer, e um turista vai viver ali experiências gastronômicas impossíveis de serem repetidas em outros lugares.

Na maioria dos restaurantes a coquetelaria é levada a sério. Experimente os drinques à base de pisco, como este, do IK - Foto de Bruno Agostini
Na maioria dos restaurantes a coquetelaria é levada a sério. Experimente os drinques à base de pisco, como este, do IK – Foto de Bruno Agostini

Visitamos nada menos que 16 lugares em três dias e meio de muitas alegrias, calorias e piscos.

Para começar: Um panorama geral sobre Lima: e aí, vale a pena visitar a capital do Peru?

Chifa Titi: o melhor da cozinha chinesa

Barranco: um lugar de restaurantes bonitos à beira-mar, mas não tão bons assim

Pardo’s Chicken: o frango assado mais famoso e consumido de Lima

Ivan Kisic, ou simplesmente IK: o restaurante póstumo que é uma homenagem de irmão

Bravo Restobar: ambiente agradável, boa cozinha e drinques legais

Ayahuasca: um bar alucinante em Lima, com decoração original e bons drinques

A cozinha nikkei do Tzuru, em Lima: a fusão – sem consusão – de Peru e Japão

Astrid y Gastón Casa Moreyra: a cozinha criativa de Gastón Acurio e seu pupilos

Tanta: uma rede de cafés informais e com bom cardápio peruano tradicional

La Mar, em Lima: o Oceano Pacífico à mesa em grande estilo

Panchita: a cozinha rural e indígena peruana com a assinatura de Gastón Acurio

Um passeio pelos restaurantes de Gastón Acurio, em Lima

La Lucha: uma casa de sanduíches e sucos sucos, para café da manhã, almoço, jantar, lanche, ceia e afins

El Mercado, de Rafael Osterling, em Lima: restaurante altamente recomendável, pelo ambiente, serviço e, principalmente, a cozinha

A chegada em Lima ao sabor de um rico e apimentado ceviche de ouriço no Mercado de Surquillo

E mais: Os restaurantes que não fui, mas ainda vou

E mais: Frágil – Oceanos Expo: uma mostra com belas imagens de animais marinhos, em cartaz em Lima

admin

Bruno Agostini é carioca, jornalista e fotógrafo. Especializado em turismo, gastronomia, vinhos e cervejas, viaja o mundo atrás de boas histórias, e da boa mesa. Com passagens por empresas como Jornal do Brasil, O Globo e Editora Abril, foi inspetor de restaurantes do Guia Quatro Rodas e é autor de livros, como guias de viagem, vinhos e restaurantes. Atualmente atua como freelancer, escrevendo para veículos especializados, entre jornais, sites e revistas, como Época Rio, Top Destinos, Carbono Uomo, Eatin’Out e Baco, entre outras. Contato: bagostini@gmail.com Instagram: @brunoagostinifoto

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *